Pular para o conteúdo
Voltar

Reeducandos concluem curso de ferramentas elétricas e manuais

Ao todo, serão disponibilizadas 980 vagas para cerca de 34 unidades, com R$ 1,96 milhão do Fundo Penitenciário Nacional (FunPen).
Fernanda Nazário | Sejudh

A | A

Reeducandos do regime fechado e semiaberto, que realizam atividades extramuros em Cuiabá, concluíram nesta sexta-feira (08.06) o curso de ferramentas elétricas e manuais. A capacitação é resultado de uma parceria entre a Fundação Nova Chance (Funac), a Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/MT).

Um grupo de 16 recuperandos participou do curso, sendo seis internas do regime fechado da Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May e 10 reeducandos monitorados por tornozeleira eletrônica. Ao final da capacitação, eles receberam um certificado com 20h/aulas.

Conforme a presidente da Funac, Dinalva Oriede, além de qualificar os custodiados para uma profissão, a proposta do curso é promover uma ocupação para eles e ainda mostrar que há outras possibilidades de renda, rompendo assim o círculo vicioso da criminalidade.

Para a coordenadora de Educação Prisional da Sejudh, Fabiana Flávia de Magalhães, o investimento na profissionalização é importante para a ressocialização de uma pessoa privada de liberdade. “Podem te tirar a roupa, a dignidade e a liberdade, mas o conhecimento jamais. Ele é intrínseco. Estará com a pessoa independente de onde estiver”.

Outros cursos

A partir da próxima semana inicia, em parceria com o Senai, os cursos sobre utilização de ferramentas elétricas e manuais e de pintor de obra nas unidades prisionais de Várzea Grande e Santo Antônio de Leverger. Já os recuperandos que realizam trabalhos extramuros por meio da Funac participarão da capacitação de pintor de obras. Para estas atividades foram disponibilizadas 60 vagas.

No final do mês, internos de outras unidades prisionais de Mato Grosso também serão capacitados, só que desta vez a parceria será com o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) Prisional e a Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Secitec).

Ao todo, serão disponibilizadas 980 vagas para cerca de 34 unidades. Entre os cursos a serem ministrados, estão: modelista de roupas; costura de máquina reta e overloque; confeiteiro; montador e reparador de computadores; jardineiro; maquiador; assistente administrativo; operador de máquinas de marcenaria e agricultura familiar. Esses cursos foram adquiridos por meio do Fundo Penitenciário Nacional (FunPen) que destinou R$ 1.960.000,00 para a Secitec aplicar na capacitação de recuperandos custeando a compra de materiais, lanches, kit aluno e salário do professor.