Pular para o conteúdo
Voltar

Padaria é a mais nova frente de trabalho para reeducandos no CRC

No local são confeccionados pães, salgados, pizzas, bolos, sonhos e massa de lasanha para consumo próprio dos internos
Fernanda Nazário | Sejudh

Sejudh
A | A

Há diversos caminhos para quem está privado da liberdade, e o mais importante é acreditar que a vida pode transformar-se, e o círculo vicioso da criminalidade por meio da conscientização, estudo e trabalho, pode terminar. O ex-pizzaiolo José Graziano, 33, recluso no Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), escolheu a segunda opção.

Ele aproveitou sua experiência profissional e, junto a outros dois internos, são responsáveis pela padaria e confeitaria do CRC, uma das diversas frentes de trabalho para reeducandos internos na unidade. No local são confeccionados pães, salgados, pizzas, bolos, sonhos e massa de lasanha para consumo próprio dos internos. “Não gosto de ficar sem fazer nada, o tempo não passa e pensamentos ruins vêm à cabeça”, acredita José, que está recluso há três anos.

O colega de cela e de trabalho de José, Vanderlei Antônio, 27, recluso há quatro anos, vê a padaria como uma oportunidade de mudança. Para ele, este é um momento único, já que não tinha nenhuma experiência na área e agora já pode acrescentar essa atividade em seu currículo para quando progredir de regime e for à procura de emprego. “A vida aqui dentro continua. Vamos vivendo um dia após o outro como uma equipe superando os desafios”, reflete Vanderlei.

O local onde funciona a padaria e confeitaria é novo, foi inaugurado em fevereiro deste ano. Os materiais, como forno, utensílios domésticos e insumos são oriundos de doação da Associação dos Servidores do CRC.