Pular para o conteúdo
Voltar

Horta de unidade prisional colhe 2.500 pés de alface no primeiro mês

A horta é na modalidade hidropônica e nela trabalham quatro reeducandos
Raquel Teixeira | Sejudh-MT

Sejudh
A | A

O que antes era uma área sem nenhuma utilidade, hoje abriga uma bela horta hidropônica que dá ocupação a reeducandos da unidade prisional de Vila Bela da Santíssima Trindade. Quatro trabalham no cultivo, manejo e colheita da horta que tem três espécies de alfacee, uma de rúcula e cheiro verde. A primeira produção rendeu 2.500 pés de alface e por dia são colhidos entre 20 e 30 maços de cebolinha, salsa e coentro.

O diretor da unidade, Edvan Coelho, explica que a produção será absorvida pela Prefeitura para a merenda de escolas e creches do município. Ele diz que a equipe da unidade está trabalhando para ampliar a horta, pois a demanda de produção é grande. “Já estamos ampliando as estruturas, pois a demanda ao que tudo indica será grande. Mais quatro reeducandos serão empregados na atividade”.

Outras atividades

O diretor explica que outros 13 reeducandos da unidade também desenvolvem atividades na marcenaria, com a fabricação de móveis e na seralheira, na montagem de lixeiras. 

Um grupo de recuperandos também trabalhou na reforma e pintura de escolas e creches do município. Eles receberam autorização judicial para trabalhar fora da unidade prisional e pelo serviço ganharam uma diária de R$ 35,00. O convênio com a prefeitura do município foi viabilizado por meio de parceira do Conselho da Comunidade e Secretaria de Justiça e Direitos Humanos. No ano passado foram reformadas creches e outros órgãos da administração municipal.

A Cadeia de Vila Bela também passou por reformas que revitalizaram toda a unidade. Os serviços foram executados pelos reeducandos. A unidade prisional recebeu ainda um circuito interno de câmeras que permite um monitoramento das áreas internas e externas e mais segurança à movimentação nas dependências e entrada e saída de funcionários e visitantes.