Pular para o conteúdo
Voltar

Parceria com penitenciária possibilita reforma de móveis do Hospital Regional de Rondonópolis

O trabalho dos reeducandos na serralheira é restaurar todos os móveis e o hospital adquiriu os materiais necessários para o serviço
Raquel Teixeira | Sesp-MT

- Foto por: Sispen-MT
A | A

O trabalho de reeducandos, que atuam na serralheira da Penitenciária Major Eldo Sá Corrêa, em Rondonópolis, está beneficiando mais uma instituição pública do município, o Hospital Regional Irmã Elza Giovanella. Uma parceria firmada no mês de julho entre a direção da penitenciária e a unidade de saúde está possibilitando a reforma de móveis hospitalares como camas, macas e escadas de apoio, que estavam danificadas.

O trabalho dos reeducandos na serralheira é restaurar todos os móveis, enquanto que o hospital adquiriu os materiais necessários.

O diretor adjunto da penitenciária, Paulo Rufino, afirma que a atividade, além de possibilitar ocupação aos reeducandos, contribui com a população de uma forma geral, pois é o hospital que ganha móveis reformados e que podem atender adequadamente os pacientes.

“É uma maneira do Sistema Penitenciário retribuir em prestação de serviços à sociedade. Além dessa parceria com o hospital regional, temos outras atividades prestadas a escolas, creches e instituições filantrópicas, com serviços como limpeza, pintura, doação de hortaliças”, conta o agente penitenciário.

Móveis antes da reforma

“Com essa parceria serão disponibilizadas mais 30 camas, 10 macas e 30 escadinhas de acesso para os usuários do hospital”, explica a diretora da unidade de saúde, Caroline Dobes.

A restauração dos móveis permite que o hospital economize com o serviço, pois a mão de obra não tem custo. Sem a parceria, cada maca seria restaurada a um custo de R$ 400 e, por meio da cooperação, cada item restaurado terá custo de R$ 53, totalizando economia de R$ 11 mil ao Governo do Estado.

Aos reeducandos é garantida a remição por dia trabalhado, conforme prevê a Lei de Execuções Penais. A cada três dias de trabalho, um é abatido na pena.