Pular para o conteúdo
Voltar

Evento celebra 70 Anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

Discussão dos avanços e gargalos enfrentados na implementação da pauta no estado foram alguns dos debates do seminário
Fernanda Nazário | Sejudh-MT

Mayke Toscano/Gcom-MT
A | A

No próximo dia 10 de dezembro serão celebrados os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos e em alusão ao tema, a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos, em parceria com a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), realizou nesta quarta-feira (05.12), em Cuiabá, um seminário para discutir os avanços e gargalos enfrentados na implementação da pauta no estado.

O secretário adjunto de Direitos Humanos da Sejudh, Zilbo Bertoli Júnior, destacou a educação como um dos desafios para o fortalecimento do que preconiza a Declaração. Ele explica que muitas pessoas têm seus direitos violados e não sabem disso. “A educação é importante para levar os direitos às pessoas. Quando a pessoa é bem informada, ela sabe onde recorrer, mas existem lugares onde a informação tem dificuldade para chegar e nós estamos buscando nesses últimos anos interiorizar as informações por meio dos conselhos e políticas públicas para que essas pessoas saibam de seus direitos”.

Para o pró-reitor da Unemat, Anderson Marques do Amaral, é necessário uma educação voltada para a cultura de paz, onde as pessoas reconheçam a existência dos diferentes e os respeitem. “A Declaração Universal é um documento base para todos os países, onde se apresentam direitos que devem ser garantidos para todos os seres humanos, pois ninguém deve tirar a humanidade do outro”, acredita.

Centros de Referência

Além das políticas públicas e conselhos voltados às garantias da pessoa idosa, mulheres, igualdade racial e direitos humanos, Mato Grosso conta com dois Centros de Referência em Direitos Humanos (CRDH): um em Cuiabá e outra na região de fronteira, em Cáceres. Eles possibilitaram o acesso da população de baixa renda a serviços essenciais como, por exemplo, assistência jurídica e documentação civil básica. Os Centros também estimulam o debate sobre cidadania influenciando positivamente na conquista dos direitos individuais e coletivos.

O CRDH de Cuiabá realizou de janeiro a dezembro deste ano 243 atendimentos que se desdobraram em mais de 800 procedimentos. O coordenador do Centro de DH em Cuiabá, Everton Cristian Oliveira, explica que a maioria dos atendimentos é relacionada a crimes de homofobia.

No CRDH de Cáceres, 1.440 pessoas foram beneficiadas nesse período pelos atendimentos e serviços itinerantes ofertados em formação. A coordenadora do local, Polianna de Souza Correa, explica que o Centro atua em três frentes: atendimento de denúncia relacionada a violação de direito; formação em direitos humanos e articulação com a rede de proteção e de diretos.

Sobre o seminário

O 2º Seminário de Educação em Direitos Humanos foi coordenado pelos Centros de Referência de Cuiabá e Cáceres, com apoio da Unemat e Tribunal de Justiça. Além dos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, foram abordados durante o evento os 30 anos da Constituição Brasileira; o papel dos Centros de Referência; diálogos em rede e direitos e cidadania: políticas públicas, qualidade de vida e respeito a diversidade.